Construir a vida a sério

Posted by CJovem CJovem
Options
- A vida constrói-se sobre os alicerces da experiência

Frequentemente ouvimos e usamos o termo “experiência” e poucas vezes paramos para nos perguntar sobre o valor e a importância que esta palavra guarda. Habitualmente confunde-se o facto de possuir certos conhecimentos, com o facto de ser alguém experimentado. A pessoa sábia não é a intelectual. O sábio é aquele que tem a capacidade de ”aprender e crescer” a partir da própria experiência e da experiência dos outros. Esta experiência refere-se a todo o conhecimento espontâneo ou vivido, adquirido pelo indivíduo ao longo da sua vida. Estou convencido que são as experiências vividas que nos levam ao conhecimento de nós próprios, desde que saibamos avaliá-las e nos consigamos orientar com elas e por elas. Se como dizia Séneca «só existe bom vento para o marinheiro que conhece o rumo» então a forma como encaramos as nossas experiências torna-se importantíssima para quem se encontra a caminho da descoberta do mistério da vida e da sua própria existência. Proponho uma classificação das experiências em três diferentes tipos, para assim depois, poderes avaliar as tuas. Isto é um bom exercício para quem tem grandes sonhos e anda na procura de construir a sua vida a sério.

Experiências Limite
São aquelas que superam as previsões e toda explicação disponível. São inesperadas e muitas vezes não desejadas. Geralmente elas produzem traumas ou deixam marcas profundas na nossa vida. O que interessa deste tipo de experiências é o depois. Há duas possibilidades perante uma experiência Limite:
  • Ficar fechados em nós próprios, prisioneiros da dor, da mágoa e do terror.
  • Assumir a dor como caminho de crescimento e fazer dela um caminho de aprendizagem.

Não há dúvida que a segunda possibilidade é a mais acertada, pois, olhar e enfrentar com coragem a dor, ajuda-nos a valorizar o que temos e a nossa existência, de um modo que antes não o fazíamos.
Há “surpresas” boas e positivas que também mexem com a nossa vida toda e entram na classificação de “experiências limite”.

Experiências Provocadas
São as experiências desejadas e assumidas pelo indivíduo. Geralmente uma pessoa sabe do que se trata e de livre vontade, aceita lançar-se a fazer uma experiência “X “ com o firme propósito de encontrar algo que ainda não conhece, relacionado consigo próprio e com o Criador da vida. Os exemplos típicos são os retiros espirituais, onde as pessoas são induzidas através do silêncio, a solidão e a escuta da Palavra a fazer uma experiência diferente e nova. Também podemos considerar como “experiências provocadas” o facto de invocar a Deus cada manhã antes de começar a jornada, a confissão sacramental, a direção espiritual, a meditação pessoal, e um bom exame de consciência antes de dormir, porque não?

Experiências avaliativas
É o hábito de rever sempre a vida na medida em que ela vai acontecendo. Intenções, afectos e conflitos são constantemente submetidos a avaliação, ou seja, confrontados e analisados. Saber o porquê das coisas, e dar a cada coisa o seu nome próprio, requer da coragem e da aceitação de si próprio e da realidade tal como ela é. A experiência da revisão constante da própria vida permite-nos, com o passar do tempo, descobrir o essencial das coisas, inclusive aquilo que não se consegue ver com um simples olhar. Jesus fazia sempre este tipo de experiência, por isso era um homem que sempre tinha um olhar diferente e profundo da história da humanidade, assim como a palavra certa no momento certo.

Perguntas para pessoas com coragem…
- O “ressentimento” é a consequência negativa mais frequente depois de ter vivido uma “experiência limite”, já te perguntaste porque não consegues perdoar com facilidade?

- A “experiência provocada” facilita tempo e espaço para ouvir com maior atenção as respostas da vida que brotam do nosso interior, já marcaste um tempo para repensar a tua vida?

- A “experiência avaliativa” permite olhar para o mundo com simplicidade, harmonia, desprendimento e liberdade. Consideras-te uma pessoa livre? Porquê?